Smar certifica Linking Device Classe 42a2

segunda-feira, 15 de março de 2004



É natural, nos dias de hoje, associar Fieldbus ao nome da Smar, líder mundial nesta tecnologia. Esta liderança, conquistada em 1995, consolida-se não somente pela implantação de inúmeros sistemas de controle baseados no protocolo de comunicação H1 mas também pelo acompanhamento das tendências e novas tecnologias pelo corpo técnico da Smar - como o protocolo High Speed Ethernet - HSE.

O uso do protocolo HSE pela Smar vem crescendo em ritmo acelerado desde o ano de 2001, quando a empresa registrou o seu primeiro Linking Device: o DF51 Classe 42a.

Esse fato abriu mercados aos produtos e tecnologia Smar, que concretizou parcerias significativas com grandes empresas do setor como Metso Automation, Endress Hauser e Rockwell Automation, todas interessadas no protocolo HSE. Tais parcerias impulsionaram o registro de outro Linking Device: o DF51 Classe 42a2.

Os testes de conformidade foram executados em agosto de 2003, e a empresa teve seu Linking Device Classe 42a2 aprovado. Novamente a Smar colaborou com a validação do protocolo de comunicação HSE e com a abertura do caminho para que outras companhias pudessem certificar seus equipamentos.

Sob o ponto de vista técnico, pode-se dizer, de maneira simplificada, que os Linking Devices classes 42a e 42a2 são equipamentos provedores de serviços dedicados ao uso da rede HSE para configuração, única e exclusiva, de equipamentos de campo baseados no protocolo de comunicação H1.

Basicamente uma característica difere um Linking Device Classe 42a de outro Classe 42a2. Trata-se da revisão da Especificação FF usada na implementação da Pilha de Comunicação HSE. Os Linking Devices pertencentes à Classe 42a baseiam-se na especificação final FF FS 1.1, enquanto os registrados como Classe 42a2 na especificação final FF FS 1.29.

a) Um novo formato de diretório para a base de gerenciamento de informações de rede, mais abrangente e que contém informações sobre revisão da especificação HSE, implementada pelo equipamento HSE e por classes de profile suportadas.

b) Uma nova opção de conexão, mais direta e automática, ao diretório de aplicação de equipamentos baseados no protocolo de comunicação HSE ou H1.

A especificação FS 1.29 é uma evolução da FF FS 1.2, que introduz: O Linking Device certificado ainda agrega outras características interessantes, não exigidas pela classe 42a2. Confira algumas: 1. Um diretório de aplicação que permite a execução de Blocos Funcionais e o estabelecimento de links locais ou externos com outros equipamentos de campo H1 e/ou HSE. 2. A implementação de H1 Bridge. Ele estabelece links entre equipamentos de campo H1, instalados em diferentes segmentos H1 de um mesmo linking device. 3. A prática do HSE Bridge permite:

  • O estabelecimento de links entre equipamentos de campo H1, instalados em diferentes linking devices.
  • O estabelecimento de links entre equipamentos de campo H1, instalados em um linking device e um equipamento HSE.
  • O estabelecimento de links entre equipamentos HSE.
  • 4. Implementa os seguintes mecanismos:
  • Publicação de informações para a rede HSE.
  • Subscrição de informações da rede HSE.
  • Republicação de informações do barramento H1 para a rede HSE e vice-versa.
  • 5. Implementa um cliente SNTP (Simple Network Time Protocol), que sincroniza o senso de tempo usado pelo linking device e equipamentos de campo H1 (nele instalados) com o tempo de um servidor de tempo SNTP disponível na rede HSE.