Planta Glassurit da Basf: excelentes resultados com tecnologia Profibus PA Smar

segunda-feira, 25 de abril de 2005



A Basf – The Chemical Company, maior grupo químico do mundo e um dos principais fabricantes de tintas mundialmente reconhecido, implantou em São Bernardo do Campo a Glassurit, maior planta química em Profibus da América. A unidade de resinas (onde a matéria-prima base para a produção de tintas é trabalhada) foi totalmente automatizada com esta tecnologia. Os equipamentos em Profibus PA foram, em sua maioria, fabricados e fornecidos pela Smar.

A equipe técnica da Basf coordenada pelo engenheiro Fernando Anguita, com o apoio da Smar, avaliou todos os equipamentos em bancadas com jigas de testes antes da instalação e comprovou o funcionamento e a interoperabilidade entre os fabricantes.

Após a Basf ter adquirido os transmissores de pressão LD303, transmissores de temperatura TT303 e posicionadores FY303, a Smar ofereceu apoio integral na configuração e montagem dos equipamentos de outros fornecedores. Os engenheiros César Cassiolato, Renato F. Fernandes, Venício Carreira e Wilton Carlos Leite ajudaram na etapa de especificações do projeto, comissionamento e start-up da planta, responsabilizando-se, diretamente, com a performance da rede Profibus PA.

O projeto foi executado entre setembro e dezembro de 2000 e a parceria existe até os dias de hoje já que a Smar continua oferecendo o apoio necessário para o bom funcionamento da planta.

Segundo o engenheiro de manutenção da Basf, Cláudio Antonio de Oliveira Correia, a Smar foi escolhida já que, além de tratar-se de uma empresa brasileira, domina as duas tecnologias em protocolos de comunicação em rede (Profibus e Fieldbus Foundation). “Os resultados foram bastante satisfatórios. O trabalho da Smar merece reconhecimento e é por isso que a empresa conquistou nossa parceria”, conclui.