Reconstruindo o Iraque: Smar é uma das empresas mundiais que trabalham para reerguer o país

quinta-feira, 2 de março de 2006



Fornecedora de sistemas de controle e instrumentação para o Ministério do Óleo iraquiano desde 1996, a Smar foi obrigada a interromper seus negócios no país em 2003, após a invasão de tropas norte-americanas durante a campanha militar para derrubar Saddam Hussein. No entanto, a oportunidade de fazer parte da reconstrução do Iraque, juntamente com empresas de todo o mundo, foi considerada pela multinacional que, atualmente, fornece conversores de sinais digitais para as estatais Daura Refinary, Nothern Refinary e Southern Refinary.

Os equipamentos com tecnologia Foundation Fieldbus colaboram na manutenção das refinarias do Iraque, mantendo a produção de gasolina, diesel e outros derivados do petróleo. As vendas para o país têm sido intermediadas pela empresa KBR, subsidiária da Halliburton.

As primeiras negociações da Smar com o governo iraquiano aconteceram na década de 90. Nessa época, a ONU ainda possuía o programa Oil For Food destinado a trocar o petróleo produzido no Iraque por alimentos, medicamentos e equipamentos que ajudassem a manter a produção do recurso energético. A Smar participava das vendas através da Al Mashreq Establishment for Industrial Supplies, sua representante no país.

A exportação de produtos tecnológicos de alto valor agregado para estatais de petróleo no Oriente Médio é considerado um caso raro no cenário mundial. “Estamos ajudando o Brasil a exportar e gerar divisas que sustentam o crescimento econômico do país e a geração de empregos. Além disso, a Smar contribui para reafirmar a imagem de um país que desenvolve e exporta produtos de alta qualidade”, conclui o gerente de negócios da Smar, Roberto Pinheiro.