Brasil e Índia: planos promissores na área tecnológica para 2007

segunda-feira, 4 de setembro de 2006



Maior produtora de açúcar refinado do mundo, a Índia tem sido visada pelo mercado brasileiro há pelo menos uma década. A Smar Equipamentos Industriais, de Sertãozinho, é uma das empresas responsáveis pela entrada no país, vendendo equipamentos e sistemas industriais principalmente para as usinas açucareiras locais, conquistando nos últimos três anos a confiança do país asiático e o aumento o fornecimento de tecnologia em quase 1000%.

Pertencentes ao BRICs, grupo que nos próximos 30 anos poderá dominar a economia mundial, do qual fazem parte Brasil, Rússia, Índia e China, os dois países têm muito em comum e visam negociações comerciais para o próximo ano. A intenção é importar a tecnologia do Brasil para a Índia e exportar componentes da Índia para o mercado Asiático.

“Índia e Brasil são os maiores produtores de açúcar do mundo, complementando-se no setor sucroalcooleiro”, disse Bharat Khater, diretor da indiana Chino-Laxsons, em visita à Smar na última semana.

‘’As parcerias com Chino Laxsons e IndPro na Índia são fundamentais para o crescimento acelerado dos fornecimentos de sistemas de controle para as usinas indianas.’’, comentou Max Ludewig, gerente de negócios da Smar.

A Chino-Laxsons é uma das grandes parceiras da Smar na Índia, sendo uma das maiores representantes da área internacional com fornecimento da multinacional brasileira desde 2002. “A Tecnologia Smar é muito bem aceita na Índia, principalmente se falarmos do protocolo Foundation Fieldbus”, complementou Khater.


Bharat Khater, diretor da indiana Chino-Lexsons