SMAR utiliza conceito aberto do FDT/DTM e provê benefícios aos mais diversos segmentos com o AssetView

segunda-feira, 15 de setembro de 2008



A SMAR provê benefícios aos mais diversos segmentos com o AssetView, o Gerenciamento de Ativos do SYSTEM302

A SMAR trabalha desde 2003 na divulgação, especificação, testes e certificações do padrão FDT (Field Device Tool), colaborando com o Grupo FDT-JIG. A missão do grupo, sem fins lucrativos, é fomentar a aceitação e uso da tecnologia FDT/DTM na indústria de automação, processo e aplicações híbridas.

A tecnologia FDT padroniza a interface de comunicação entre equipamentos de campo e sistemas. A característica chave é sua independência entre o protocolo de comunicação e o ambiente de software com o equipamento e o sistema host, além de permitir que vários equipamentos sejam acessados de outros hosts por meio de qualquer protocolo.

“Verificamos grandes benefícios com este conceito aberto”, diz César Cassiolato, diretor de marketing da SMAR. “O FDT/DTM oferece a simplicidade e flexibilidade em uma interface verdadeiramente aberta, otimizando e guiando o usuário em acessos às interfaces gráficas e parametrização, independente do sistema fieldbus. A nossa experiência e conhecimentos em HART, Foundation fieldbusTM e PROFIBUS, contribuem com a parceria SMAR e organização FDT”, complementa.

O FDT-JIG tem o suporte de várias organizações e fundações como a ODVA, OPC Foundation, PROFIBUS Nutzeroorganisation e.V., PACTware Consortium e.V., ZVEI Verband, AS-interface e Interbus Club. A SMAR disponibiliza DTMs para seus equipamentos HART e PROFIBUS-PA seguindo os padrões mais atuais, e acaba de lançar o AssetView, sua ferramenta de gerenciamento de ativos, baseado em FDT/DTM em sua mais nova versão do SYSTEM302.

“Hoje não resta dúvida que as empresas buscam possibilidades de se tornarem competitivas. Entre estas possibilidades podemos citar a otimização de processos e também o gerenciamento de ativos. A otimização garante melhoria de performance, redução de custos com matéria-prima, melhor qualidade, etc. Quanto mais informação, melhor a planta pode ser operada. A informação digital permite que um sistema colete informações dos mais diversos tipos e finalidades em uma planta, e, neste sentido, com a tecnologia digital, pode-se transformar preciosos bits e bytes em relacionamento lucrativo e obter melhoria da qualidade do sistema como um todo. E isto é garantido somente se o processo estiver operando com excelência, uma conseqüência direta do gerenciamento de ativos e de práticas que reduzem o downtime, aumentando a disponibilidade da planta e cortando custos de manutenção”, acrescenta.

De acordo com Leandro Torres, gerente de sistemas da SMAR, um sistema de gerenciamento e manutenção deve ter recursos que permitam ao usuário identificar ou prognosticar fácil e rapidamente qualquer mau funcionamento de sua planta. Neste sentido, deve ter facilidades técnicas como gerações de dados estatísticos, históricos, gerações de relatórios, permitir fácil acesso de qualquer lugar, mesmo fora da planta, evitar paradas não programadas e otimizar as paradas programadas das empresas, utilizando as manutenções preditivas e proativas (o chamado conceito TPM-Total Productive Maintenance). Além disso, deve tirar vantagens dos modernos recursos de rede e arquitetura de software, como interface OPC, multiprotocolos e acesso via web, onde estas ferramentas oferecem ao usuário ampla visibilidade da planta, a qualquer hora, em qualquer lugar.

O gerente de produto Evaristo Orellana Alves afirma que as empresas hoje querem informações que possam gerar benefícios, facilitando as tomadas de decisões.

Cassiolato detalha sobre o AssetView, ferramenta de gerenciamento de ativos e parte integrante do SYSTEM302. “Foi desenvolvido dentro desta filosofia e utiliza o próprio web Browser como plataforma para as interfaces gráficas com o usuário e é baseado em dois padrões internacionais de descrição de dispositivos: EDDL (Electronic Device Description Language) e FDT (Field Device Tool).O AssetView suporta equipamentos Foundation fieldbusTM, HART e PROFIBUS. Através do AssetView, pode-se realizar manutenções, agendamentos, gerar notificações via e-mail, sem a necessidade de um software específico”.

Esta ferramenta possibilita o gerenciamento de toda documentação dos ativos, como manuais, procedimentos, folha de dados, relatórios e links aos fabricantes dos equipamentos, de forma a concentrar toda documentação e facilitar o dia-a-dia do usuário.

Com sua poderosa interface, o AssetView permite a operação com vários equipamentos de campo (transmissores e válvulas) e dispositivos mecânicos e elétricos, facilitando a parametrização, operação, calibração e diagnósticos. Permite que se registrem todas e quaisquer alterações efetuadas pelo usuário e que se tenha a reconciliação de configurações e monitoração online de centenas de produtos homologados com tecnologia Foundation fieldbusTM, HART e PROFIBUS.

Além disso, o AssetView possui um Wizard que possibilita um aprimoramento da interface gráfica definida pela EDDL de novos equipamentos. Permite também a definição de diagnósticos avançados, com a inclusão de gráficos.

Entre vários benefícios destacam-se: a simplificação nas atividades envolvendo parametrização, diagnose e manutenção; redução de custos de manutenção; rápida identificação de problemas; prevenção de paradas não programadas, causadas por falhas de equipamentos ou de instrumentos e conseqüente aumento do MTBF (Mean Time Between Failures) da planta; diminuição no tempo de parada, programada ou não da planta, com diminuição do MTTR (Mean Time To Repair); solução aberta e com fácil acesso à informação.

O AssetView possui duas patentes internacionais garantindo suas características inovadoras e o seu pioneirismo: 6,631,298 e 6,725,182.

Facilidades e benefícios do gerenciamento de ativos:

  • Facilidade de acesso às informações em toda a planta (desde chão-de-fábrica até níveis gerenciais);
  • Garante uniformização das informações nos di-versos níveis hierárquicos, com confiabilidade. Rico em informação, facilita a tomada de decisões;
  • Permite infra-estrutura e tecnologia para que se monitore online, configure, calibre e gerencie equipamentos de campo com o objetivo de se ter os melhores resultados em termos de desempenho e redução de custos;
  • Permite as melhores práticas de manutenção (principalmente a proativa), através do geren-ciamento de diagnósticos, programação de manutenções;
  • Audit Trial;
  • Minimização de sobressalentes;
  • Aumento da disponibilidade e segurança opera-cional da planta e redução do downtime;
  • Diminuição do tempo perdido com a manutenção de equipamentos em que não há necessidade (Manutenção Preventiva);
  • Ganhos e redução de custos operacionais contribuindo para a redução de custos gerais.