Sistema de controle da SMAR recebe destaque internacional no segmento de energia nuclear

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010




Duke Energy Corporation, localizada na Carolina do Sul, Estados Unidos

A edição de novembro da revista internacional Power Magazine trouxe o caso de sucesso da Estação Nuclear Oconee (ONS), da Duke Energy Corporation, localizada na Carolina do Sul, Estados Unidos. A planta foi selecionada para uma série de reportagens sobre usinas geradoras de energia.

Segundo Angela Neville, editora sênior da Power Magazine, a Estação Nuclear de Oconee está concluindo um programa de dez anos para digitalizar toda a instrumentação e os sistemas de controle instalados nos anos 70. “Assim, a Duke Energy torna-se líder industrial em relação a técnicas e regulamentações. Recentemente, a equipe do projeto concluiu a atualização digital do sistema de controle integrado, do sistema de controle da turbina principal, do sistema de controle do comando das hastes, do regulador de tensão principal, do sistema de controle de processos e do sistema de isolamento automático da água de alimentação”.

Angela ainda informa que a regulamentação para a atualização digital do sistema de proteção do reator e do sistema de segurança está prevista para este ano. “Juntas, essas atualizações aumentam o desempenho da planta em longo prazo e minimizam problemas de obsolescência do equipamento original”, comenta.

O sistema de controle de processos, fornecido pela SMAR, o SYSTEM302-7, também teve destaque na reportagem. Concluído em 2008, foi o primeiro sistema Foundation Fieldbus em escala significativa, implantado em uma usina nuclear. “O sistema de controle implementado nos três reatores da Oconee trouxe melhorias em todo o processo de geração de energia da planta, proporcionando maior visibilidade do processo e disponibilizando informações sobre o status de cada equipamento de campo em tempo real”, comenta Fernando Liboni, Gerente de Projetos da SMAR.

A Estação Nuclear Oconee, em operação desde 1973, vem se destacando no fornecimento de energia segura e confiável. É a primeira usina nuclear dos Estados Unidos a distribuir mais de 500 milhões de MW/h de energia elétrica à população. Através do reconhecimento dos benefícios ambiental e econômico de se operar a ONS além da concessão original de 40 anos, a Duke solicitou e, em 2000, recebeu a licença de extensão da Comissão Regulatória (NRC), permitindo a operação da planta até 2034.