Navio da Marinha Brasileira utiliza radares de onda guiada SMAR

segunda-feira, 1 de março de 2010



A Corveta Barroso, incorporada à AMRJ - Armada do Arsenal da Marinha do Rio de Janeiro em agosto de 2009, utiliza transmissores de nível por onda guiada (RD400) SMAR. No total, dez radares foram instalados nos tanques de óleo diesel e de efluentes biológicos.

O AMRJ e o IpqM - Instituto de Pesquisa da Marinha foram os responsáveis pelo projeto da Corveta Barroso, que possui autonomia de 30 dias e raio de ação de 8 mil quilômetros.

Segundo o engenheiro da Marinha José Ricardo, que acompanhou e supervisionou todo o projeto, o equipamento trouxe confiabilidade na medição dos tanques de armazenamento de combustível, em tempo real, o que garantiu a autonomia da embarcação na missão de defesa dos mares e da soberania brasileiros.

O Gerente de Produtos Marcus Vinicius Silva e o engenheiro Davi Somaggio acompanharam as instalações no local, durante os últimos meses. Segundo Marcus Vinicius, a SMAR já possui, há mais de uma década, um forte laço com a Marinha Brasileira, provendo soluções confiáveis e robustas. “Agora, com o radar, nossa intenção é dar continuidade a esse relacionamento, e isso inclui nossa diferenciação em serviços, que sempre teve destaque no mercado nacional”, conclui.

 


Configuração de um dos radares em tanque de óleo diesel


O engenheiro Davi Samaggio (SMAR) e José Vitor (Marinha, à esquerda) e Randolfo Ribeiro (Marinha, à direita)


Engenheiro José Ricardo, na sala de supervisórios do navio


RD400 instalado em um dos tanques de óleo diesel do navio