SMAR Didática

Quebrando o muro que separa a empresa da escola

Luciano Botto
Gerente de Produto - Interface com Instituições de Ensino
lucianobotto@smar.com.br

 

César Cassiolato
Diretor de Marketing, Qualidade , Assistência Técnica e Instalações Industriais
cesarcass@smar.com.br

Introdução

No mercado de automação industrial de hoje, existem diversas tecnologias de comunicação e protocolos para otimização do controle de processos em plantas industriais. Torna-se necessário manter um processo contínuo de capacitação e treinamento dos operadores de processo, e também facilitar o aprendizado de novos profissionais em uma área que constantemente apresenta melhorias e novidades tecnológicas para aumentar a produtividade e a confiabilidade dos sistemas de automação industrial.

Pensando neste cenário, a SMAR observou a importância para a formação de técnicos e engenheiros, de estar o mais próximo possível de uma planta industrial real, podendo executar processos de controle e supervisão em um sistema compacto e ao mesmo tempo fiel a realidade da automação industrial.

Hoje, a SMAR é a maior fornecedora de Plantas Didáticas e Kits Didáticos para automação industrial e instrumentação da América Latina, atendendo escolas técnicas, faculdades, universidades e indústrias de maneira geral.

A Planta Didática SMAR

A Planta Didática é projetada e fabricada com instrumentos e controladores desenvolvidos pela própria SMAR, que compreendem as tecnologias Foundation Fieldbus, HART e Profibus. Entre os instrumentos utilizados estão transmissores de pressão, de temperatura e posicionadores de válvulas. A SMAR detém o conhecimento pleno da aplicação e configuração dos instrumentos.

A Planta Didática consegue demonstrar didaticamente a operação de diversas malhas de controle utilizando as mesmas ferramentas de configuração em software desenvolvidas para aplicação em controle industrial, e permite ao usuário atuar nos registros modificando valores internos dos equipamentos e nos modos operacionais das malhas de controle, podendo ser monitorada e operada de uma ou várias estações. Ela simula processos tais como medição de temperatura, vazão e nível, podendo executar os seguintes controles, entre outros:

 

Controle Antecipativo

Estratégias de controle antecipativo permitem determinar o melhor valor de uma variável manipulada, baseando-se em valores atuais de variáveis monitoradas.

Um exemplo deste tipo de estratégia é controlar a variável temperatura do tanque de aquecimento da Planta Didática. Para isso, utilizamos a “antecipação” da variável vazão como valor desejado do controle da temperatura. O sistema supervisório da planta inibe ou libera a modulação da válvula de controle, iniciando o aquecimento da água do tanque e controlando a temperatura.

 

Controle em Cascata

O controle em cascata é uma das estratégias mais aplicadas em plantas industriais. Este tipo de controle utiliza duas variáveis controladas para atuar em uma única variável. Considere, por exemplo, o controle da temperatura da água em um tanque de mistura, que recebe água quente do tanque de aquecimento e água fria que deve ser aquecida. Válvulas na saída desse tanque permitem uma maior ou menor retirada da água para manter a temperatura da água no tanque de mistura respondendo às variações de temperatura da água aquecida em função do aumento ou diminuição da vazão de água fria.

A malha de vazão de água fria recebe como ponto desejado a saída do controle de temperatura do tanque de mistura, provocando assim a ação da válvula de água fria quando a temperatura for diferente da solicitada, e gerando alarmes que são enviados para o CLP.

 

Controle Manual

Considere o caso em que um operador deve manter a temperatura da água quente em um determinado valor. O operador observa a indicação da temperatura e com base neste valor, aciona o fechamento ou abertura da válvula de controle de vapor, para que a temperatura desejada seja mantida.

Neste tipo de controle, o ajuste para a temperatura é feito manualmente depois que o sistema supervisório libera a modulação. As demais variáveis do processo são totalizações parciais e o consumo total das vazões, e essas variáveis também são monitoradas pelo sistema supervisório.

 

"A Planta Didática é composta basicamente por sensores necessários para medição das principais variáveis como temperatura, vazão e nível, e também por equipamentos diversos como transmissores, controladores, válvulas de controle, conversor de potência, resistências elétricas e bombas. A Planta Didática possui, ainda, instrumentos visuais de medição, como régua de nível e rotâmetros, que auxiliam na didática do ensino. Para a medição e controle de temperatura, existem sensores bimetálicos, com termopar e termoresistência, e um termostato que estabelece o limite máximo desta variável."

Para a medição e controle de vazão, a Planta Didática utiliza rotâmetros e sensores de orifício integral nos transmissores para medir o diferencial de pressão nos transmissores e para que eles possam informar a variável real de vazão. Na medição e controle de nível, utiliza-se um sensor capacitivo cuja informação é convertida em diferencial de pressão no transmissor, e um conjunto de bombas que permite fluir água através das tubulações e válvulas de bloqueio, do reservatório aos tanques de processo, que são tanques de aquecimento e mistura.

A Planta Didática é operada e controlada através de um computador com sistema de controle de última geração para as tecnologias Hart, Profibus e Foundation Fieldbus, e o software de operação e supervisão que efetua a aquisição de dados dos sensores e os apresenta por meio de telas de sinótico e fluxogramas de processo. Através desse software, também desenvolvido pela Divisão de P&D da SMAR, é possível atuar nos registros das informações modificando valores e nos modos operacionais das malhas de controle.

 

Características Mecânicas Diferenciadas

A estrutura da Planta Didática é totalmente feita em alumínio, tornando-se mais leve e resistente.

Na base da estrutura existem rodas que facilitam o deslocamento e o transporte do conjunto.

Os tanques e toda a tubulação da Planta Didática são feitos em aço inox para evitar corrosão e garantir a qualidade ao longo do tempo.

Nenhum de seus elementos precisa ser retirado para realizar seu transporte. Entre outras vantagens, a Planta Didática é baseada em tecnologia brasileira de ponta, e possui flexibilidade para novos projetos.

A SMAR é uma empresa nacional, fabricante do conjunto da obra. Sua Assistência Técnica disponível 24 por dia, sete dias por semana, garante o apoio durante os períodos de paradas de plantas para manutenções corretivas, preventivas e preditivas; apoios emergenciais e reparos em instrumentos; testes de malhas e envio emergencial de instrumentos para apoio. A SMAR também oferece treinamentos em seus produtos e suas respectivas tecnologias, ministrados por especialistas.

Através da Planta Didática da SMAR, os alunos têm a possibilidade de aplicar o estudo teórico em aulas práticas e dinâmicas, aperfeiçoando seus conhecimentos em processos industriais, tornando-os mais preparados para o mercado de trabalho, consequentemente aumentando o índice de empregabilidade dos alunos.

 

Planta Didática SMAR, a mais flexível, moderna e resistente que há no mercado.

 

Siga-nos:

© Copyright 2010 | SMAR Equipamentos Industriais Ltda - todos os direitos reservados - websupport@smar.com
Você está recebendo este informativo da SMAR.com.br devido seu relacionamento com o website ser assinante ou Membro Registrado.
Se você deseja ser excluído de futuros e-mails informativos do website SMAR.com.br, por favor clique aqui para atualizar suas preferências .
Este e-mail não pode ser considerado SPAM, pois está em conformidade com o Código de Ética Anti-Spam e Melhores Práticas de Uso de Mensagens Eletrônicas